Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Arquivo Nacional inicia terceira turma de egressos do projeto Papel da Liberdade

Escrito por Bruna Barcelos | Publicado: Quinta, 05 de Julho de 2018, 09h00 | Última atualização em Quinta, 05 de Julho de 2018, 17h40 | Acessos: 336

A terceira turma de egressos iniciou, nesta última semana de junho, o curso de Educação em Arquivos do projeto O Papel da Liberdade. O coordenador da Coordenação Regional do Arquivo Nacional no DF (COREG), Paulo Cid, deu as boas-vindas à nova turma e falou em seu discurso: “Esta é uma oportunidade singular, pois vocês estão recebendo conhecimentos que serão usados em um mercado de trabalho que precisa de bons profissionais. Aqui terão a chancela de um curso promovido pela instituição que é a referência no tratamento, na preservação e na gestão documental do país”.

O projeto é um acordo entre o Arquivo Nacional (AN) do Ministério da Justiça e o Departamento Penitenciário Nacional (Depen) do Ministério da Segurança Pública. As aulas teóricas duram duas semanas e serão ministrados os seguintes conteúdos: O que é o Arquivo Nacional (finalidade, visão, história, acervos); Patrimônio Documental, Fundo Polícia Marítima, Aérea e de Fronteiras (SPMAF); Documentos de Arquivo; Preservação de Acervos; Manuseio e Cuidados com Acervos; Controle Biológico. Após esta etapa, a turma passará para as aulas práticas e, em seguida, por um período de vivência. A duração do curso é de seis meses. A capacitação ensina também a confecção de itens de escritório, como cadernos, bloco de notas, porta-lápis e pastas. O curso está acontecendo na Coordenação Regional do Arquivo Nacional em Brasília (COREG).

A ação profissionalizante promove cidadania e facilita a inclusão de pessoas com restrição de liberdade no mercado de trabalho, sendo de grande importância na formação, capacitação e qualificação dos egressos para sua efetiva ressocialização.



Papel da Liberdade no Arquivo Nacional

O projeto O Papel da Liberdade é um conjunto de ações direcionadas à educação técnica e ressocialização de pessoas em cumprimento de pena, no regime aberto e semi-aberto, capacitando-os para a inserção no mercado de trabalho. A iniciativa começou, embrionariamente, em 1997, mas foi em 1999, que o projeto tornou-se oficial pelo então Ministério da Justiça e Segurança Pública.


No Arquivo Nacional, a parceria começou em novembro de 2017, com o início da primeira turma. Na ocasião, quatro pessoas participaram e ainda estão em capacitação na parte da vivência prática, com previsão de término da capacitação em abril. A nova turma conta com sete participantes, entre homens e mulheres, com previsão de conclusão em meados de 2018.

 Texto: COREG / Foto: Eline Caldas

registrado em:
Fim do conteúdo da página