Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Arquivo Nacional adere ao Novembro Azul
Início do conteúdo da página

Arquivo Nacional adere ao Novembro Azul

Escrito por Tassia Verissimo | Publicado: Quinta, 01 de Novembro de 2018, 12h36 | Última atualização em Quinta, 01 de Novembro de 2018, 13h55

O Arquivo Nacional aderiu ao Novembro Azul e até o final do mês estará com a fachada de sua sede, no Rio de Janeiro, iluminada na cor da campanha de conscientização sobre o câncer de próstata. Além disso, as imagens dos perfis da instituição em suas páginas oficiais nas redes sociais receberam a cor azul em seu fundo e está sendo realizada uma campanha interna a respeito do tema.

O mês de novembro é internacionalmente dedicado às ações relacionadas ao câncer de próstata e à saúde do homem, sendo o dia 17 escolhido como o Dia Mundial de Combate ao Câncer de Próstata. Esse tipo de câncer é o sexto mais comum no mundo e o de maior incidência nos homens, com cerca de três quartos dos casos  ocorrendo em maiores de 65 anos.

No Brasil, ele representa a quarta causa de morte por câncer e corresponde a 6% do total de óbitos por este grupo. As taxas da manifestação da doença são cerca de seis vezes maiores nos países desenvolvidos. Quando diagnosticado e tratado no início, o câncer de próstata tem os riscos de mortalidade reduzidos. 

A próstata é uma glândula que apenas os homens possuem. Ela está localizada na parte baixa do abdômen. Situa-se logo abaixo da bexiga e à frente do reto. A próstata envolve a porção inicial da uretra, tubo pelo qual a urina armazenada na bexiga é eliminada. Ela produz cerca de 70% do sêmen e representa um papel fundamental na fertilidade masculina.

Homens a partir dos 50 anos devem procurar um posto de saúde para realizar exames de rotina. Os sintomas mais comuns do tumor são a dificuldade de urinar, frequência urinária alterada ou diminuição da força do jato da urina, dentre outros. Quem tem histórico familiar da doença, deve avisar o médico, que indicará os exames necessários.

A Política Nacional de Atenção Oncológica garante o atendimento integral a todos aqueles diagnosticados com câncer, por meio das Unidades de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia (Unacon) e dos Centros de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia (Cacon).Todos os estados brasileiros têm pelo menos um hospital habilitado em oncologia, onde o paciente de câncer encontrará desde um exame até cirurgias mais complexas.

registrado em:
Fim do conteúdo da página