Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Últimas Notícias > Jean Paul Sartre e Simone de Beauvoir no Brasil em 1960
Início do conteúdo da página

Jean Paul Sartre e Simone de Beauvoir no Brasil em 1960

Escrito por Bruna Barcelos | Publicado: Sexta, 01 de Fevereiro de 2019, 08h00 | Última atualização em Sexta, 01 de Fevereiro de 2019, 15h58

 

No acervo do Serviço de Polícia Marítima e Aéreo de Fronteira - SPMAF, referente ao estado de Pernambuco, sob a guarda da Coordenação Regional do Arquivo Nacional em Brasília – COREG, estão os registros de entrada no Brasil do filósofo existencialista, escritor e dramaturgo Jean-Paul Sartre e da sua companheira, a escritora Simone de Beauvoir, ícone do movimento feminista. O livro de Registro de Entrada de Estrangeiros nos informa que eles chegaram ao Brasil pela cidade de Recife em 12 de agosto de 1960, a convite do escritor Jorge Amado, que os havia conhecido em encontros do Partido Comunista. Ao chegar ao Brasil, Sartre tinha 55 anos (21/06/1905 – 15/04/1980) e Simone de Beauvoir 53 (09/01/1908 – 14/04/1986) e esta seria a única visita ao país do famoso casal de intelectuais franceses.

Ao lado da companheira Simone, Sartre permaneceu mais de dois meses no país, e percorreram inúmeras cidades, tais como Recife, Salvador, Rio, São Paulo, Ouro Preto, Fortaleza, Manaus, e teve, à época, ampla cobertura da imprensa e televisão brasileirasA intensa agenda organizada por Jorge Amado e sua mulher Zelia Gattai incluiu visitas a plantações de tabaco, café e de cacau; mercados populares, fazendas, favelas e cidades modernas.

Durante a estadia, Sartre proferiu palestras sobre temas políticos importantes, em um momento em que o mundo estava polarizado pela Guerra Fria: a libertação da Argélia, então colônia francesa, e a revolução em Cuba, onde ele havia estado meses antes. Destaca-se entre as inúmeras palestras proferidas, a de Araraquara, cidade do interior paulista, onde Sartre proferiu uma concorrida palestra sobre filosofia na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras (FFCL), hoje integrada à UNESP, cuja plateia contou com a presença de inúmeros intelectuais, entre eles, o crítico literário Antonio Candido, os professores Fernando Henrique Cardoso e Ruth Cardoso. Essa palestra ficou conhecida como a “Conferência de Araraquara” e sua íntegra está no livro Sartre no Brasil: a conferência de Araraquara (São Paulo: ,Editora Paz&Terra&Unesp, 1986).

No Arquivo Nacional podem ser encontradas fotografias sobre a viagem de Sartre e Simone pelas cidades do Brasil. Por exemplo, no acervo da Agência Nacional está registrado o encontro Jean-Paul Sartre e Simone de Beauvoir com o presidente da República, Juscelino Kubitschek, em 22 de setembro de 1960. No acervo do jornal Correio da Manhã vemos o casal no Instituto de Filosofia e Ciências Sociais da Universidade Federal do Rio de Janeiro (IFCS-UFRJ). Vale destacar que no portal do Arquivo Nacional, podem ser vistas mais imagens sobre a estadia do casal no país na exposição virtual França: uma festa brasileira no link http://www.exposicoesvirtuais.arquivonacional.gov.br/cgi/cgilua.exe/sys/start.htm?sid=233.

Referências das Imagens:

Registro de entrada de Jean-Paul Sartre e Simone de Beauvoir SPMAF-PE, Livro 36, fls. 39-40.

 Acervo Agência Nacional: Eh _coc_p7490 _01

 

Texto: Coordenadoria Regional do Arquivo Nacional no Distrito Federal/ Vivien Ishad


Todo o conteúdo deste site está publicado sob a licença Creative Commons Atribuição-Sem Derivações 3.0 Não Adaptada (CC BY-ND 3.0)

registrado em:
Fim do conteúdo da página